Gestão de Meio de Pagamentos – CENTRAL DO ESTABELECIMENTO.


O sistema CENTRAL DO ESTABELECIMENTO foi criado, com o objetivo principal de organizar e gerenciar todo o meio de pagamentos via cartão DE CRÉDITO, DÉBITO, PARCELADO e bandeiras de VOUCHERS.
Hoje existem no mercado diversas ferramentas para auxiliar o estabelecimento comercial com relação a gerenciamento de vendas, mas o principal problema no sistema de gerenciamento de vendas, não é somente ter a informação das vendas realizadas e quais foram as modalidades utilizadas. A principal dificuldade dos estabelecimentos comerciais, é saber quais são as taxas e prazos inseridos para cada uma das bandeiras aceitas, seja as modalidades de crédito, débito, parcelado e principalmente vouchers, porque cada uma dessas bandeiras tem uma condição comercial peculiar, dependendo da bandeira, e volume de vendas, as taxas se alteram absurdamente, a ponto do estabelecimento comercial, perder toda e qualquer forma de administração dos recebíveis, hoje nenhum aplicativo, até mesmo da própria bandeira informa as condições comerciais e modalidades de descontos aplicados nas vendas realizadas, de forma que o estabelecimento comercial, entenda de maneira clara e objetiva.
Agora você imagina o seguinte cenário:
Vou dar como exemplo uma padaria, onde é possível aceitar as bandeiras de crédito, débito, parcelado e bandeiras de vouchers (Ticket, Sodexo, Vr, Alelo), entre outras e com os produtos de refeição e alimentação liberados.
Nesta configuração que acabei de citar, você precisa administrar os recebimentos da seguinte forma, Adquirentes, bandeiras e vouchers credenciados.

O que acontece naturalmente, você solicita via banco ou diretamente com a adquirente, um terminal eletrônico, (maquina do cartão), onde o proprietário negocia depois ou não de realizar uma pesquisa de mercado, o valor da mensalidade ou compra da máquina e as taxas de crédito, débito e parcelado, este é o primeiro passo, a partir deste momento, o estabelecimento precisa ter acesso ao site da empresa onde adquiriu a maquina e faz a administração para cada venda realizada.
Para cada bandeira de voucher, o que é necessário entender, cada bandeira tem uma modalidade de negociação individual, ou seja, cada bandeira tem um site para que o estabelecimento cadastre um LOGIN e SENHA e tenha acesso a cada venda realizada.
O que faz o estabelecimento comercial ter que acessar em média, 5 sites diferentes e verificar as vendas realizadas, taxas, adesões, anuidades e mensalidades:

 A adquirente (bandeiras de crédito, débito, parcelado e mensalidade);
 Vouchers (TICKET, SODEXO, VR, ALELO, entre outras).

Aceitar o máximo de bandeiras de crédito, débito, refeição e alimentação, é muito importante para que o estabelecimento de ao cliente, ou usuário do cartão, a possibilidade de utilizar os serviços ou produtos que seu estabelecimento oferece, fazendo com que suas vendas aumente de volume consideravelmente, você só precisa ter a gestão sobre as negociações realizadas e acompanhar diariamente as vendas realizadas por essas modalidades.
Quando o estabelecimento comercial tem informações de todas as taxas e prazos de recebimentos, e há uma administração diária, é possível saber se está tudo correto e fazer uma planilha de custos, onde poderá a qualquer momento, ter a famosa e muito importante TOMADA DE DECISÃO.
Quando utilizo o termo TOMADA DE DECISÃO, é necessário ter em mente que o estabelecimento a partir do momento que faz credenciamentos das bandeiras, há todos os dias contato de gerentes de bancos, e funcionários altamente treinados nas bandeiras de vouchers, para convencer o estabelecimento a realizar antecipações ou negociar os recebíveis com empréstimos, se você não tem as informações necessárias, prepare-se, você vai trabalhar somente para pagar taxas a bancos ou administradoras de cartões, além das taxas que já foram acordadas anteriormente, esta negociação realizada pelas administradoras e bancos, você precisa entender quais são as regras desse jogo, para que se o estabelecimento tome a melhor decisão , isso é vital para a saúde financeira da sua empresa.
Neste momento o estabelecimento comercial tem as principais informações para gerir a saúde financeira da empresa em ótimo estado, onde poderá tomar as decisões de quanto vale casa produto ou serviço oferecido pelo estabelecimento comercial, e como deve utilizar as receitas e despesas para que seu negócio possa crescer e prosperar.
Falando especificamente com relação a administração das bandeiras e suas modalidades de pagamento, criamos um sistema onde é possível o estabelecimento digitar venda por venda e o estabelecimento verificar diariamente através de um calendário as vendas realizadas e a data de recebimento em um único local, online 24 horas por dia 7 dias por semana.
O sistema é configurado com as taxas negociadas pelas adquirentes, bandeiras e com as condições comerciais negociadas, o sistema informa em diversas telas e acessos de maneira intuitiva vendas realizadas, prazos, taxas por bandeira e faz a comparação entre adquirentes, indica qual adquirente ou bandeira está no momento com a melhor negociação, neste momento o estabelecimento tem de forma simples e direta, todas as informações que necessita para ter a melhor TOMADA DE DECISÃO .

MEI – QUEM PODE SE INSCREVER COMO MEI?

    MEI – MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL – QUEM PODE SE INSCREVER COMO MEI?


O MEI é o pequeno empresário individual que atende as condições abaixo relacionadas:
• Tenha faturamento limitado a R$ 81.000,00 por ano;
• Que não participe como sócio, administrador ou titular de outra empresa;
• Contrate no máximo um empregado.

2 – QUEM NÃO PODE SE INSCREVER COMO MEI?
• Pensionista e Servidor Público Federal em atividade. Servidores públicos estaduais e municipais devem observar os critérios da respectiva legislação, que podem variar conforme o estado ou município;
• Estrangeiro com visto provisório (formalizar apenas mediante apresentação do RNE – Registro Nacional de Estrangeiros, pois este é o “visto permanente”);
• Pessoa que seja titular, sócio ou administrador de outra empresa.

3 – QUAIS OS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO MEI?
Benefício previdenciário são importâncias, em dinheiro, que a Previdência Social paga a quem contribui para o INSS. Ao se formalizar, o MEI passa a ter cobertura previdenciária para o si e sua família, traduzida nos seguintes benefícios.

3.1 – PARA O EMPREENDEDOR:

• Aposentadoria por idade: mulher aos 60 anos e homem aos 65, observado a carência, que é tempo mínimo de contribuição de 15 anos;
• Aposentadoria por invalidez: o MEI tem de contribuir para a Previdência Social por no mínimo 12 meses, a contar do primeiro pagamento em dia.
• Auxílio doença: o MEI tem de contribuir para a Previdência Social por no mínimo 12 meses, a contar do primeiro pagamento em dia.
• Salário maternidade: são necessários 10 meses de contribuição, a contar do primeiro pagamento em dia.

                                             5 Dicas para o MEI – Micro Empreendedor Individual

• Tem algumas situações que infelizmente alguns empresários esquecem, e principalmente de uma, é pagar mensalmente os impostos, incrível que pareça tem donos de micro empreendedor que falam que não sabem que tem que pagar mensalmente os imposto através desse

• Dica 1 – Imprima os DAS em 12 meses para não cair no esquecimento pois o juros é muito alto, link

• Dica 2 – Faça uma planilha dos últimos 12 meses de tudo que você comprou e vendeu, vai precisar para o terceira dica.

• Dica 3 – Não esqueça de fazer a Declaração anual de imposto de renda pessoa Jurídica no Site do portal do empreendedor em janeiro, pois tem multa após o prazo.

• Dica 4 – Procure sempre um contador de Confiança para esta acompanhado a Leis as mudanças, para que não seja surpreendido na Frente.

• Dica 5 – Caso tenha Serviços em sua atividade, procure a prefeitura para emitir as notas fiscais de serviços, não tem custo, seu imposto é fixo e no caso de venda para pessoa Jurídica emitir nota fiscal Avulsa, ou procure a secretaria do Estado para verificar que já esta Liberada a nota fiscal de Venda para MEI.

         OS 7 ERROS QUE VOCÊ NÃO PODE COMETER AO ABRIR UM MEI

Abrir um MEI é relativamente fácil, mas existem alguns erros terríveis que os empreendedores cometem. Listamos aqui os 7 principais erros! Antes de tudo, precisamos nos familiarizar com o conceito do Micro Empreendedor Individual (MEI) para então entendermos os 7 erros que você pode cometer ao abrir esse empreendimento.
Primeiramente, o MEI é instituído pela Lei Complementar nº 123/06, nesta, indivíduos que têm um faturamento anual de até R$ 81 mil/ano, que estejam incluídos nas mais de 500 atividades pré-determinadas, podem adquirir CNPJ, gozar dos direitos previdenciários e ainda pode ter um empregado.
O MEI está inserido dentro do Simples Nacional e é isenta dos impostos federais, pagando uma alíquota que varia de acordo com o enquadramento do empreendimento, podendo chegar a cerca de R$50 reais, que é usado no pagamento do ICMS ou ISS e Previdência Social.

1. Estamos falando de um negócio realmente individual. Não existe a modalidade de MEI com sociedade. Essa foi desenvolvida para atividades estritamente indivíduais, ou seja é uma forma do profissional sair da ilegalidade e justificar seus lucros perante a Receita Federal bem como gozar dos benefícios de obter um CNPJ.
Caso você tenha um sócio e deseje abrir uma sociedade, consulte seu contador para saber qual modalidade melhor se aplica a sua situação.

2. Omitir lucros para se enquadrar no MEI
A frase acima é bastante autoexplicativa, o regimento determina que um MEI pode faturar anualmente R$ 81 mil, se o titular for pego pela Receita Federal tentando esconder seu excedente, este sofrerá sanções relacionadas a sonegação e os retroativos serão tributados, caso a previsão de faturamento for maior do limite do MEI, estude outras modalidades de abertura de empresa e tributação.
Não se engane, utilizar-se do MEI para sonegação tendo em vista seu sistema bastante simplificado é um grande erro, o fisco possui diversas técnicas para fiscalizar suas operações financeiras.

3. Mentir o tipo de serviço prestado
A legislação para o MEI apresenta uma lista de mais de 500 atividades explanadas no anexo XIII da Resolução CGSN nº 94/2011, insistir em uma descrição que não condiz com sua realidade pode gerar implicações como o fechamento da sua empresa. E não é esse o objetivo, certo?

4. Abrir um MEI somente para financiar veículos
Sim, essa é uma das principais vantagens da MEI, com o CNPJ abertura de créditos, limites, cartão de crédito e financiamentos são mais flexíveis em algumas situações, contudo vale salientar que o MEI apesar de ser uma modalidade jurídica com diversas facilidades burocráticas, o MEI é uma empresa como qualquer outra, que requer todos os cuidados que tomam uma empresa comum.

5. Titular ou sócio de outra empresa atualmente, a legislação é bem incisiva quanto a esse ponto, o empresário, ao tentar abrir uma MEI, não conseguirá se for sócio ou titular de outra empresa, seja qual for a modalidade.

6. Bagunça Financeira
Muitas vezes, por ser uma empresa de pequeno porte, os empresários dispensam o auxílio de um profissional contábil. Dentro das diversas responsabilidades de gerir uma empresa, é bastante fácil se perder no montante de documentos, desorganização das contas pessoais com as contas da empresa e principalmente não separar o que é receita da empresa e o que é lucro.
Desta feita, mesmo antes de regularizar seu empreendimento, tenha noção que a prestação de contas é necessária e você deve atentar-se a cada nota fiscal emitida.

7. Interesse em possuir diversos funcionários
O MEI é bastante claro quanto a esse quesito, somente é permitido a contratação de um funcionário. Caso você pretenda ter várias pessoas trabalhando com você, é interessante procurar outra modalidade. Lembre-se que a contratação irregular de funcionários te deixa sujeito a sérios processos trabalhistas.
Aqui listamos para vocês 7 erros que você absolutamente não deve cometer ao abrir seu negócio nos moldes do MEI. Em caso de dúvida, consulte sempre um contador, ele com certeza é o profissional mais indicado para dirimir todas as suas dúvidas.
Quero ser MEI – SEBRAE

http://www.portaldoempreendedor.gov.br/